Make your own free website on Tripod.com

UM MUNDO DE CINEMA, MÚSICA, TV E BANDA DESENHADA

Posters Tamanho Grande // Miniposters // Posters Originais Cinema // Fotografias 15x10cm // Fotografias 25x20cm// Photosets // Postais // Autocolantes // Pins // Portachaves// Livros de/e Sobre Cinema // Banda Desenhada

Bem vindo à nossa base de dados de filmes

FILMES

O QUARTO DO FILHO

Título Original: La Stanza Del Figlio

Ano: 2001

País: França/Itália

Realizador: Nanni Moretti

    Actores:

  • NANNI MORETTI…………………………… Giovanni

  • LAURA MORANTE ………………………... Paola

  • JASMINE TRINCA…………………………. Irene

  • GIUSEPPE SANFELICA………………..…. Andrea

  • SILVIO ORLANDO…………………………. Oscar

  • CLAUDIA DELLA SETA…………………... Raffaela

  • STEFANO ACCORSI………………………. Tommaso

  • SOFIA VIGLIAR…………………………….. Ariana

  • ALESSANDRO INFUSINI………………… Matteo

  • PAOLO DE VITA…………………………… Pai do Luciano

  • ROBERTO DE FRANCESCO…………….. Vendedor na Loja de Discos

  • CLAUDIO SANTAMARIA…………………. Empregado

  • ANTONIO PETROCELLI………………….. Enrico

  • STEFANO ABATÍ…………………………... Outros

  • TONI BERTORELLI

  • DARIO CANTARELLI

  • ELEONORE DANCO

  • LUISA DE SANTIS

  • RENATO SCARPA



  • HISTÓRIA …….……………………….….... Nanni Moretti

  • ARGUMENTO ………………………….…... Nanni MorettiLinda FerriHeidrun Schleef

  • FOTOGRAFIA….......………………………. Giuseppe Lanci

  • DECORAÇÃO…….........................………. Giancarlo Basili

  • GUARDA-ROUPA………………………….. Maria Rita Barbera

  • SOM…........................……………………… Alessandro Zanon

  • MONTAGEM…..................………………... Esmeralda Calabria

  • MÚSICA ….......……………...................…. Nicola Piovani

  • PRODUTOR…..........………………………. Angelo BarbagalloNanni Moretti

  • CO-PRODUÇÃO……………………………. Sacher FilmsBac FilmsStudioCanalEm colaboração comRai CinemaTele +

  • Data de Estreia: 01-02-2002

    Minutos: 99

    Resumo:

    Giovanni, a sua mulher Paola, e os dois filhos adolescentes, Irene e Andrea, vivem uma pacata existência em Ancona, uma pequena cidade no Norte de Itália. Os pais ajudam os filhos nos trabalhos de casa e riem às escondidas quando ouvem conversas sobre namorados e "charros". Giovanni é psicanalista. No consultório, anexo à casa da família, Giovanni recebe os seus pacientes, que lhe confiam as suas neuroses, com a mesma calma que marca toda a sua vida. Ele gosta de ler, de ouvir música (só italiana), de fazer jogging. Num domingo de manhã, Giovanni recebe um telefonema de um doente que precisa de o ver com urgência. Giovanni têm assim que cancelar a corrida que tinha programado com o filho, Andrea. O rapaz vai então mergulhar com os amigos... mas não volta. Morre de embolia, num acidente de mergulho. A família não consegue expurgar a dor da perda do filho. Deixa-se consumir por um sentimento atroz, que os atinge, a cada um, de um modo particular. Giovanni não consegue impedir-se de regressar mentalmente ao passado, numa tentativa de alterar este presente tão cruel. O sentimento de culpabilidade impõe-se e o pai não consegue deixar de se interrogar como tudo teria sido se não tivesse ido ver aquele doente, naquele fatídico domingo de manhã. Até que, um dia, chega uma carta de amor para Andrea, de uma jovem que desconhece a tragédia. É Ariana que vai conduzir a família nesse contorcido caminho da possível saída do desespero.



      Critícas dos visitantes do Site:





      Título do filme Nome do crítico Cidade Data da Crítica
      Quarto Do Filho (O) João Pedro Machado Ermesinde 9/28/2002

      “O QUARTO DO FILHO”, de Nanni Moretti CLASSIFICAÇÃO: ***** (Excelente) Num ano que tem sido muito bom em estreias (em Portugal) de cinema, um filme se consegue destacar dos outros. Este “O Quarto do Filho” não é um filme perfeito (o argumento apresenta algumas falhas, principalmente quando aborda o universo da psicanálise), mas isso não impede que seja sublime! A abordagem de um tema tão complicado como é o luto faz-se aqui de uma forma irrepreensível, com personagens “reais”, com sentimentos “reais”, com comportamentos “reais”; portanto, muito diferente do que estamos habituados (em especial o cinema norte-americano costuma ser desastroso quando fala de sentimentos...!). E Nanni Moretti demonstra uma enorme ternura por todas as personagens, conseguindo contagiar-nos. É impossível não simpatizarmos com aquela família nuclear (pai, mãe e os dois filhos adolescentes), que vive feliz e em harmonia, da mesma forma que quando a tragédia se abate, sentimos nós próprios a dor da perda de um ente querido (confesso que me senti um bocadinho irmão do rapaz que morre). Isso só é conseguido com grande honestidade e transparência por parte de Nanni Moretti, bem como pela prestação dos actores, que são todos eles magníficos (mesmo “o filho”, que, no seu “under-acting” (não sei se esta expressão existe...) – que pode ser confundido com má interpretação – consegue criar uma aura mística em seu redor – à semelhança do que acontece com a “nossa” Leonor Silveira nos filmes do Manoel de Oliveira)! A cena final é soberba, acompanhada pela canção de Brian Eno “By this river”, uma excelente e adequada escolha sonora!





      Esperamos a vossa colaboração





      VOLTAR CRÍTICAS DE FILMES

      VOLTAR PAG. INICIAL