Make your own free website on Tripod.com

UM MUNDO DE CINEMA, MÚSICA, TV E BANDA DESENHADA

Posters Tamanho Grande // Miniposters // Posters Originais Cinema // Fotografias 15x10cm // Fotografias 25x20cm// Photosets // Postais // Autocolantes // Pins // Portachaves// Livros de/e Sobre Cinema // Banda Desenhada

Bem vindo à nossa base de dados de filmes

FILMES

THE MAJESTIC

Título Original: The Majestic

Ano: 2001

País: EUA

Realizador: Frank Darabont

    Actores:

  • Jim Carrey

  • Martin Landau

Minutos: 152

Resumo:

Um jovem e ambicioso argumentista de cinema, é perseguido pelo Macarthismo e ao fugir, tem um acidente que o faz perder a memória. Vai parar a uma pequena localidade do interior da Califórnia e é confundido com Luke Trimble, o filho do dono do cinema local, que desapareceu na Segunda Guerra Mundial. Após assumir a identidade de Trimble, ele então redescobre o prazer o cinema.

    Critícas dos visitantes do Site:





    Título do filme Nome do crítico Cidade Data da Crítica
    Majestic(The) João Pedro Machado Ermesinde 9/28/2002

    “THE MAJESTIC”, de Frank Darabont CLASSIFICAÇÃO: **** (Muito Bom) A pontuação mais precisa seria *** e meio, mas não gosto de décimas; portanto, ficam as ****. Os dois defeitos de “The Majestic” são: um argumento repleto de elementos já vistos e revistos noutros filmes e o seu moralismo, a que Frank Darabont já nos vem habituando... No entanto, há um momento neste filme em que Darabont nos troca as voltas e “foge” à solução simplista: é quando, depois do discurso apoteótico de Peter Appleton, em que, como se prevê, ele, defendendo os direitos fundamentais do Homem, confronta e humilha quem o acusa, o seu advogado lhe diz que, afinal de contas, ele, num deslize, na sua intervenção, ofereceu aos juízes o que eles desejavam... Esta é a melhor cena do filme! A verdade é que esses discursos espontâneos, que tornam um anónimo num herói, num David que vence Golias são pura fantasia; não é assim tão fácil derrotar os poderosos. E este filme, surpreendentemente (se calhar, foi uma forma consciente de se distanciar do modelo clássico, no qual se inspirou), revela uma grande honestidade ao humanizar o herói e ao conceder realismo àquela situação... E Frank Darabont já é detentor de algo que só poucos realizadores conseguem auferir na sua carreira: tem um estilo próprio. Depois de “Os Condenados de Shawshank” e de “The Green Mile – À Espera de um Milagre”, se me pusessem este “The Majestic” à frente, sem me dizerem o nome do realizador, estou convencido que era capaz de adivinhar... Quanto mais não seja, porque, mais uma vez, conseguiu fazer-me chorar numa sala de cinema...!



    Esperamos a vossa colaboração





    VOLTAR CRÍTICAS DE FILMES

    VOLTAR PAG. INICIAL