Make your own free website on Tripod.com
TUDO SOBRE CINEMA, MUSICA E BD

MC&BD -Rua D. Afonso Henriques, Nº1539 2-dto 4425-636 Pedrouços-Maia

POSTERS TAMANHO GRANDE MINIPOSTERS
FOTOGRAFIAS 15x10cm FOTOGRAFIAS 25x20cm
PHOTOSETS (CONJUNTOS DE FOTOS DE FILMES POSTERS ORIGINAIS DE CINEMA
POSTAIS AUTOCOLANTES
PIN'S PORTA-CHAVES
LIVROS DE/E SOBRE CINEMA BANDA DESENHADA
CARTAS DE JOGAR E COLECIONAR OUTROS ITEMS

Bem vindo à nossa base de dados de filmes

FILMES

ERA UMA VEZ UM RAPAZ

Título Original: About a Boy

Ano: 2002

País: EUA/Reino Unido

Realizador: Chris Weitz e Paul Weitz

    Actores:

  • Hugh Grant

  • Toni Collette

  • Rachel Weisz

  • Nicholas Hoult

Minutos: 101

Resumo:

Will vive dos royalties que uma canção de Natal escrita pelo pai em 1958, fazendo dele um individuo egocêntrico, imaturo e mulherengo. Mulher após mulher, as suas conquistas vão-se acumulando, até conhecer um miudo com muitos problemas.

    Critícas dos visitantes do Site:





    Título do filme Nome do crítico Cidade Data da Crítica
    Era Uma Vez Um Rapaz Daniel Pereira Ramada 10/02/2002

    Era Uma Vez Um Rapaz Muito Bom (5 estrelas) "Era Uma Vez Um Rapaz" é a adaptação para cinema do terceiro livro do escritor inglês Nick Hornby. Se o livro é muito bom este filme também não fica atrás, principalmente graças à excelente adaptação do argumento. Este filme conta-nos a história de Will, um homem de 38 anos, solteiro, mulherengo e que não faz nada, vivendo dos direitos de autor de uma canção famosa que o seu pai escrevera. Por outro lado existe Marcus, um rapaz de 12 anos, inadaptado à escola e filho de uma mãe cheia de problemas psicológicos. Os dois vão conhecer-se e ajudar-se mutuamente a encaixar num mundo em que não pertencem mas em que deviam pertencer. O filme vive, essencialmente, desta belíssima história, tendo grande importância a interacção entre as duas personagens, muito bem exploradas e maravilhosamente interpretadas: Hugh Grant é genial no papel do solteirão, assim como o é Nicholas Hoult (uma estreia) no papel do jovem rapaz. Uma referência ainda para a Toni Colette, muito bem no papel da mãe de Marcus. Os actores estão, de facto, sublimes, oferecendo diálogos memoráveis. Quem receava o desmoronar desta história com grande potencial devido à escolha para a realização dos irmãos Weitz ("American Pie – A Primeira Vez") ficará surpreendido. Os realizadores cumprem positivamente, limitando-se a gerir o argumento. É, no entanto, de salientar o pormenor bastante agradável da inserção dos pensamentos (hilariantes) de Will. O único ponto menos positivo vai para o final que não é fiel ao do livro e, assim, ligeiramente inferior ao mesmo. Um pormenor sem importância para quem não conheça a obra original, pois o final cinematográfico funciona bem. Uma nota de grande importância deve também ser dirigida à fabulosa banda sonora que compõe este filme da autoria de Badly Drawn Boy. As canções possuem uma grande sensibilidade mas sem nunca pisarem o risco do lamechas, precisamente à imagem do filme. "Era Uma Vez Um Rapaz" é assim um filme deveras equilibrado que fornece doses de bom humor ao mesmo tempo que faz uma incursão no melodrama, mostrando uma grande sensibilidade sem nunca exagerar. Imprescindível. Para assistir a uma belíssima história. O melhor: o argumento e seus diálogos. O pior: o final diferente ao do livro (sem ser negativo).



    Título do filme Nome do crítico Cidade Data da Crítica
    Era Uma Vez Um Rapaz João Pedro Machado Ermesinde 9/28/2002

    "ABOUT A BOY - ERA UMA VEZ UM RAPAZ", de Chris Weitz e Paul Weitz CLASSIFICAÇÃO: *** (Bom) Divertidíssimo, com vários momentos hilariantes! Realização sóbria e de enorme bom-gosto, apresentando contudo algumas falhas técnicas, o que significa que os irmãos Weitz têm talento, mas beneficiariam com umas aulinhas de cinema. Quanto às interpretações, temos um Hugh Grant no seu melhor, uma jovem revelação (Nicholas Hoult no papel do miúdo Marcus) e uma Toni Collette que, depois de fazer de mãe da criança prodígio d’ “O Sexto Sentido”, mais uma vez nos oferece um registo de grande intensidade dramática! Como já alguém disse, este é um típico filme de Verão; e dos menos maus, o que o torna absolutamente aconselhável! P.S.: Para quem não sabe, os realizadores deste filme são os mesmos que realizaram, há uns anos, o mega-sucesso “American Pie – A Primeira Vez”.



    Esperamos a vossa colaboração





    VOLTAR CRÍTICAS DE FILMES

    VOLTAR PAG. INICIAL